O que são garantias locatícias?

Um dos maiores medos de quem pretende alugar o seu imóvel é saber se irá receber os aluguéis em dia.

O que são garantias locatícias?


Muitos proprietários de imóveis interessados costumam analisar cuidadosamente sobre o perfil do interessado.

No entanto, sabemos que, na prática, isso não garante que uma pessoa que sempre foi íntegra sofra algum revés financeiro que a impeça de pagar os aluguéis contratados.

Ou seja, nada garante que o interessado cumpra realmente os seus deveres. Se você reformar seu imóvel, incluir novos itens de decoração como resina epóxi, móveis, eletrodomésticos, entre outros, e realizar um contrato com uma pessoa que não irá cumprir seus deveres, é possível ter prejuízos sérios a longo prazo.

A partir daí, surge a necessidade de uma garantia locatícia, que por sua vez, tem como principal finalidade proteger o proprietário em caso de uma falta de pagamento por parte do inquilino.

Quer saber mais sobre o que são as garantias locatícias? Então nós elaboramos este post para te explicar todos os detalhes do assunto! Continue nos acompanhando para saber de mais detalhes!

O que são as garantias locatícias?

De forma geral, as garantias locatícias são uma modalidades para proteger e locador, garantindo o cumprimento da obrigação de pagamento.

São as garantias que minimizam os riscos de um proprietário passar por prejuízos. Neste caso, as garantias se relacionam apenas pelo pagamento mensal de um imóvel.

Ou seja, se um morador descumprir outras obrigações, como danificar ímã de ferrite, por exemplo, ele terá que arcar com outras obrigações;

Além disso, existem diversas modalidades de garantias locatícias para assegurar o pagamento. Veja abaixo cada uma delas:

Tipos de garantias locatícias

Fiança

Uma das modalidades mais tradicionais de garantia locatícia é a fiança. A partir dela, o fiador é a pessoa que garantirá o pagamento do aluguel, no caso do inquilino não cumprir suas obrigações.

Em outras palavras, o inquilino indica uma terceira pessoa para assegurar suas obrigações, se colocando como fiador e garantindo o pagamento.

Além disso, na garantia com fiador, o inquilino também pode exigir a qualquer momento uma nova pessoa para ser o fiador.

Caução

A caução é outra forma de garantia locatícia, que é um tipo de adiantamento do valor máximo do imóvel, equivalente a três meses de aluguel.

Esse depósito é feito de forma antecipada e, se as obrigações não forem cumpridas, o valor é devolvido para o depositante.

Seguro fiança

O seguro fiança, o fiador não será uma terceira pessoa, mas sim, uma seguradora especializada, que cobra um valor do inquilino, de acordo com as variáveis.

Nesse caso, é a seguradora quem garantirá o pagamento em caso de descumprimento dos deveres.

Carta de fiança

Funciona da mesma maneira que o seguro fiança, uma vez que a instituição financeira irá garantir o pagamento.

No entanto, nesse modelo, a carta de fiança tem um teto máximo de cobrança, sendo que, ao passar desse valor, o inquilino terá de assumir o prejuízo restante.

Escolha um modelo de garantia locatícia e tenha segurança

Ao longo do post, vimos que as garantias locatícias são muito importantes para assegurar o proprietário de um imóvel em relação ao pagamento de aluguel.

Se você tem um imóvel novo, reformado e com todos os itens de decoração (como grama sintética decorativa), a partir dessa garantia, é possível ter mais segurança dos pagamentos! E aí, gostou do nosso conteúdo? Conta pra gente!

Esse artigo foi escrito por Rafaela Ricardo, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais.


Impactos da LGPD no mercado imobiliário

Se sua empresa atua no mercado imobiliário, seja como uma corretora de imóveis, vendedora de tela de proteção para sacada, entre qualquer outro, então sabe que a coleta de dados para o envio de promoções e campanhas é um fator crucial, certo?

Impactos da LGPD no mercado imobiliário



No entanto, com a criação da LGPD, também conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados, que atualiza e substitui o Marco Civil da Internet, as empresas que manuseiam dados devem ficar de olho quanto aos impactos no mercado imobiliário.

Por sua vez, a LGPD entra em vigor em agosto deste ano, com o objetivo de regulamentar a maneira pela qual as empresas tratam as informações dos usuários, priorizando assim, a maior segurança pelos dados.

No entanto, esse tipo de influência pode impactar diretamente as empresas do mercado imobiliário.

Pensando nisso, nós elaboramos este post para te mostrar quais foram os principais impactos da LGPD diante do cenário atual do mercado imobiliário.

Quer saber mais sobre tudo isso? Então continue nos acompanhando e venha descobrir todos os detalhes do tema! Vamos lá?

1. Mapeamento de dados de clientes online e offline

Com o surgimento da lei LGPD, um dos impactos mais visíveis foi a mudança na organização de dados das empresas. Isso vale tanto para os dados de clientes ativos ou inativos de uma organização.


Se sua empresa atua com etiqueta código de barras, por exemplo, esse é o momento perfeito para simplificar a organização do negócio e arrumar todos os dados que estão bagunçados. A princípio, a lei LGPD estipula que os dados sejam organizados da seguinte forma:

  • Pessoais: informações pessoais de clientes, como RG ou CPF;
  • Anonimizados: dados que não podem ser identificados;
  • Sensíveis: dados como opiniões políticas, religião, orientação sexual, entre outros.

2. Mudanças na coleta e utilização de dados

Além da organização e agrupamento de dados dos clientes, também será preciso remodelar a forma como esses dados serão coletados.

Além do consentimento dos consumidores ser essencial para uma empresa conseguir gerar a coleta de dados, agora isso se tornou uma obrigatoriedade por parte das empresas.

Imagine que um cliente busque informações sobre uma etiqueta de segurança e preencha uma ficha cadastral: esses dados não podem ser utilizados para outros fins, se não houver ao menos um acordo entre as partes.

3. Criação de um comitê moderador

Outra das medidas que impactam o mercado imobiliário é a criação de um comitê moderador dentro a empresa. Isso diz respeito a um grupo de profissionais que intermediam a comunicação entre a empresa, governo e os responsáveis pelos dados.

Esse comitê terá como prioridade garantir que todos estão seguindo as conformidades presentes na legislação, além de, é claro, guiar e aconselhar os colaboradores da empresa para ampliar o consentimento sobre a utilização dos dados dos consumidores.

Agora que você já sabe sobre quais são os principais impactos da lei LGPD nas empresas do mercado imobiliário, o que está esperando para ajustar os processos da sua empresa e se tornar mais segura para seus consumidores? Gostou do nosso conteúdo? Conta pra gente!

Esse artigo foi escrito por Rafaela Ricardo, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais.

O que fazer antes de colocar um imóvel a venda

Se você está lendo este post, provavelmente possui um imóvel e decidiu alugá-lo ou vendê-lo, certo?

O que fazer antes de colocar um imóvel a venda


Seja uma residência ou uma loja de disco flap, entre outros, para que esse objetivo seja atingido com mais facilidade, é essencial analisar pequenos fatores antes de anunciar.

Afinal, mesmo que o imóvel se encontre em bom estado, não adianta anunciar um espaço que precisa de reformas menores a serem feitas. Além disso afastar potenciais compradores, também fará a maioria das pessoas não se interessarem pelo imóvel.

Por essa razão, para ter sucesso ao vender ou alugar de maneira mais rápida, precisa e eficiente, arrumar tudo e deixar o imóvel nas melhores condições é fundamental.

Quer saber mais sobre tudo isso? Então não deixe de nos acompanhar neste post! Está preparado?

Vistoria completa

Antes de colocar um imóvel a venda, faça uma vistoria completa em todos os cantos do espaço.

Como mencionamos, não adianta anunciar um ambiente que está mal cuidado e com reformas a serem feitas.

Por essa razão, fazer uma vistoria e analisar a necessidade de algum tipo de reforma é o primeiro passo para detectar os principais problemas do imóvel.

Analise fatores como a falta de manutenção de elevadores do prédio, defeitos nas paredes, instalações inadequadas, e por aí vai.

Renove a pintura dos ambientes

A pintura é outro fator essencial para valorizar ainda mais a sua propriedade, e por isso, é o próximo passo antes de colocar um imóvel a venda.

Com alguns ajustes na estética, é possível ganhar uma posição de destaque na hora de negociar o seu imóvel, e até mesmo cotar um preço um pouco acima da média do seu imóvel. Ou seja, faz toda a diferença.

Foco nos móveis e eletrodomésticos

Já se o seu imóvel tiver móveis e eletrodomésticos, assim como qualquer outro item incluso, como calhas e rufos, por exemplo, tome muito cuidado com eles.

Nesse momento, é importante cuidar ao máximo para que eles não estraguem, pois o valor do seu imóvel aumenta e muito como quando esses tipos de ítens estão em bom estado. Além disso, é fato que muitos compradores optam por comprar uma casa já mobiliada, uma vez que é uma opção mais prática e simples.

Saiba quanto vai cobrar pelo imóvel

Por fim, seja para alugar ou colocar um imóvel a venda, o preço sempre precisa ser totalmente condizente com a realidade.

Muitas coisas devem ser levadas em consideração no momento de definir um valor ao seu imóvel, como o estado dos móveis ou a qualidade da propriedade influenciam. Por essa razão, não deixe de analisar todos os detalhes e anunciar um valor adequado para a sua casa, apartamento ou negócio.

Agora que você já sabe o que fazer antes de colocar um imóvel a venda, o que acha de seguir essas dicas e ter sucesso? Gostou do post? Conta pra gente!

Esse artigo foi escrito por Rafaela Ricardo, Criadora de Conteúdo do Soluções Industriais.